Começando a crochetar

Olá deslumbres!

Na minha última postagem falei de alguns materiais para iniciar no mundo dos amigurumis, desde os materiais essenciais até os opcionais. Hoje vamos desvendar como começamos a confeccionar um lá dos conceitos básicos, estão prontos? Vamos precisar de um novelo, agulha de crochê, tesoura, fibra siliconada e agulha de tapeceiro (ou uma agulha com o buraquinho maior).

Como já falei antes eu não sabia fazer crochê, até tinha tentado um tapete mas não deu certo. Aprendo os pontos realmente fazendo minha primeira peça que não foi um bichinho ou uma boneca e sim uma bolinha. Pode parecer meio estranho mas aprender uma bolinha faz todo sentido.

Se analisarmos cada pedaço de um amigurumi veremos que as partes são próxima de sólidos geométricos, precisamos ter em mente qual o formato que queremos para confeccionar. A maioria das cabeças são esferas por isso a importância de começarmos de uma simples bolinha. Bracinhos, orelhas e perninhas também podem ser esferas ou semi esferas. Já os corpinhos podem ser cilindros ou ter o formato de uma coxinha que aos poucos vamos aprendendo como fazer. Amigurumi é uma técnica de crochê circular, desse modo vamos seguindo as instruções como uma espiral, ponto em cima de ponto de forma a fechar um círculo.

Quase todas as peças começam com um anel mágico (AM), mas como fazer? Eu costumo segurar a linha na mão esquerda com o dedão e dar duas voltas com a linha em torno de dois dedos. Passo a agulha por debaixo da primeira volta e puxo a segunda volta, depois faço mais uma uma laçada. Sempre ficaremos no final com uma argolinha na agulha.

Depois fazemos pontos baixos (pb) dentro dele antes de fechar. Para fazer um ponto baixo colocamos a agulha dentro do anel, laçamos a linha que está saindo do novelo e trazemos ficando com duas argolinhas. Aí laçamos a linha do novelo mas agora por cima e passamos por dentro das duas argolas. Para fazer a bolinha eu usei 6 pontos baixos. Aí sim podemos puxar a linha fechando o buraquinho e a nossa primeira carreira está pronta.

Vale ressaltar que dependendo da quantidade de pontos fica difícil puxar ou de apertarmos demais também pode ficar complicado continuar a peça. Eu costumo puxar mais a linha depois de fazer a segunda carreira. Note que cada conto baixo fica com um V deitado em cima: a linha de fora e a de dentro. Se fossemos fazer um ponto baixo em cima passaríamos a agulha por baixo desse V (das duas linhas).

Além do ponto baixo também temos aumentos e diminuições. Os aumentos (aum) são feitos com dois pontos baixos no mesmo lugar. Acho que na foto não dá pra perceber como é. Na nossa segunda carreira vamos fazer aumento em todos os pontos, ficando assim com 12 V em cima ou 12 pontos na carreira.

Nas próximas carreiras fui intercalando pb e aum. Na terceira carreira: 1 pb, 1 aum, 1 pb, 1 aum, … tendo no final 18 pontos. Na quarta carreira: 2 pb, 1 aum, 2 pb, 1 aum, … ficando com 24 pontos. Repare a diferença entre o lado direito e o avesso. No avesso fica a linha que sobrou do anel mágico. Quando a peça está maior enrolamos e escondemos dentro dela.

Fiz cinco carreiras de 24 pontos baixos (ou ponto sobre ponto). Já as diminuições (dim) acontecem quando juntamos dois pontos em um só. Passamos a agulha apenas na alça de fora de dois pontos, puxamos a linha e depois seguimos como em um ponto baixo normal laçando mais uma vez e tirando duas argolas.

Essa nossa carreira será feita de 2 pb, 1 dim, 2 pb, 1 dim, … Na seguinte 1 pb, 1 dim, 1 pb, 1 dim, … E aí colocamos a fibra siliconada. Não há uma quantidade certa, o importante é a fibra não atrapalhar nas próximas carreiras.

Para a última carreira fazemos 6 diminuições. Podemos então cortar a linha e puxar a argolinha para costurar. A linha de sobra não pode ser muito pequena para que possamos finalizar. A costura final é feita com a agulha de tapeceiro, passamos ela nas 6 partes de fora puxando a linha. Depois colocamos a linha no centro e saímos em qualquer parte da bolinha. Para finalizar colocamos a agulha no buraquinho ao lado e saímos em outro algumas vezes e aí sim temos a nossa bolinha.

É importante ressaltar que não há modo certo de segurar a agulha. Cortamos a linha bem rente e se ficar aparente é só apertar um pouco a bolinha que ela entra completamente. O tamanho da bolinha varia de acordo com a agulha, a espessura da linha e a tensão do ponto. Espero que tenham gostado e até a próxima!

Um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.