Um gostinho de Cabo Verde…

Olá, deslumbres! Espero que todos estejam bem.

Hoje resolvi falar um pouco sobre como me deliciei experimentando uma comida e uma bebida, ambas típicas de Cabo Verde. Nada melhor que comer algo diferente do que estamos acostumados, não é mesmo?

Então, além de estudante/docente em formação e blogueirinha nas horas vagas, eu também tenho atuado como uma espécie de produtora cultural, no meu projeto, agora idealizado junto com outra amiga que se chama Arte & Afro (Posso confessar? Essa é parte que eu mais gosto de todos os meus “trabalhos”). O projeto baseia-se em dar espaço para todo o tipo de arte negra da minha cidade e da região. O primeiro encontro aconteceu em novembro do ano passado e o segundo neste último 08 de junho. Ambos foram um sucesso, mas nesse segundo tivemos algumas participações além de especiais e que me trouxeram um gostinho especial de Cabo Verde.

Nesse último evento, amigas minhas de um outro projeto lindíssimo (Afro-Kali) que tem como objetivo desmitificar os saberes sobre a África e unificar a diversidade cultural de lá com a cultura afro-brasileira, se juntaram a mim vendendo iguarias cabo-verdianas, afinal, uma das maneiras que elas encontraram de juntar as culturas é o intercâmbio culinário, nem preciso dizer que, para mim, literalmente, foi um prato cheio.

A comida que eu e muitas pessoas experimentaram e se apaixonaram se chama Cachupa.

Infelizmente não tenho como dizer todo o processo do como é feito e também não sou a melhor quando o assunto é culinária, mas os ingredientes principais são: tipos de carnes, feijão, milhos estufados e legumes. Tive a honra de comer isso feito por uma cabo verdiana legítima e me encantei pelo gosto e por quão cheirosa essa comida fica, o que foi bem surpreendente para mim, pois não sou fã de caldos ou qualquer coisa que remeta à sopa, no entanto, a cachupa ganhou meu coração.

A bebida experimentada foi o delicioso Ponche de Mancarra.

(Essa imagem foi retirada do facebook do projeto Afro-Kali, créditos todos deles e quem se interessar acompanhe a página também!)

O ponche é feito de amendoins, cachaça e derivados de leite. Ah, tem uma distinção, o amendoim usado para fazê-la é o amendoim crioulo. Gente, é uma das bebidas mais saborosas e suaves que já tomei apesar de ter a presença da cachaça. É algo bem doce e pode ser servido em temperatura ambiente, contudo, não exagerem na dose e como sempre, se beberem nada de dirigir.

Em suma, recomendo mil vezes para vocês experimentarem essas delícias e, além disso, conhecerem cada vez mais sobre a diversidade cultural e culinária da África. Afrocentrar é sempre válido e preciso!

Até mais, deslumbres!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.